Área Restrita

Quinta-Feira , 10 de Agosto de 2017
FHO no Projeto Rondon-SP: alunos e professores realizaram atividades em Itapeva (SP)

Alunos e professores da FHO|Uniararas embarcaram no dia 08 de julho para o município de Itapeva, região sudoeste do estado de São Paulo, para desenvolver a Operação Itapeva 08. A equipe, integrada pelos professores Me. Nelson Oliveira Stefanelli e Me. Antonio Francisco Peripato Filho, e dos alunos Williane Ferreira Lima; Bianca Oliveira dos Santos; José Lemos do Prado Junior; Mônica Cyntia Ferreira Santos; Lays Fernanda Henrique; Giulia Stefani da Silva e Camila Malvestiti, esteve na cidade de 08 a 16 de julho e irá compartilhar suas impressões e aprendizados em uma reunião de avaliação e encerramento realizada dia 26 de agosto, na Faculdade de Medicina do ABC.


O Projeto Rondon-SP é uma iniciativa da Associação dos Rondonistas do Estado de São Paulo - ARONESP, que agrega Instituições de Ensino Superior (IES) e parcerias de iniciativas pública e privada. Com foco em intervenções sociais em municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e/ou comunidades que apresentam demandas de trabalhos sociais, o Rondon tem como objetivo promover ações nas áreas de políticas públicas, saúde, educação, assistência social, empreendorismo familiar e geração de renda junto aos moradores, através da prática extensionista dos universitários voluntários.


Juntamente com os alunos da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), Universidade de Santo Amaro (UNISA), Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva (FAIT), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (USP), Instituto de Ciências Biomédicas (USP) e Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) nossos estudantes realizaram atividades voltadas à comunidade: Capacitação sobre Plano Diretor; Encontros Públicos, Visitas monitoradas e Rodas de Conversa; Capacitações sobre Primeiros Socorros; Orientação e Capacitação para Acolhimento e Atendimento de Pessoas com Transtornos Mentais; Capacitações sobre Cooperativismo e Associativismo; Capacitação sobre Turismo; Aplicação de questionário nos bairros urbanos e rurais - identificação de demandas e indicadores sociais (ecomapas); Castração cirúrgica de cães e Capacitação sobre Comportamento Animal.


Depoimento dos rondonistas da Operação Itapeva 08


"O que aprendi no Projeto Rondon vai muito além de qualquer projeto. O sentimento envolvido, o amor ao próximo, a ajuda à população do município, a união do grupo, os ensinamentos e as amizades que fiz, significaram muito para mim. O Projeto me fez crescer e permitiu que eu passasse um pouco do conhecimento que tenho. Não existe ainda uma palavra que descreva essa mistura de sentimentos, só sei que cada segundo valeu a pena e que vou me lembrar destes momentos para o resto da minha vida. Agradeço a FHO|Uniararas e os professores pela oportunidade e por terem tornado o Projeto Rondon um sonho realizado para mim".

Williane Ferreira Lima
Aluna de Enfermagem


"O Projeto Rondon é mais aprendizado do que ensinamento. Tive a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas, tanto das outras equipes quanto da própria cidade. Achei incrível como as pessoas foram acolhedoras e receptivas. Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a multidisciplinariedade, uma vez que vários cursos trocam informações e em vários momentos relacionei o meu curso com as experiências vividas. O Rondon só me deu mais certeza da escolha que fiz e acredito que todos os alunos de graduação deveriam passar por essa experiência, uma vez que ele nos ajuda a crescer, a sermos mais humildes e solidários com o próximo".

Bianca Oliveira dos Santos
Aluna de Engenharia Química


"Participar do Projeto Rondon-SP me mostrou que não precisamos ir longe para conhecer uma realidade diferente da qual estamos acostumados. Durante a semana que passei em Itapeva observei vários pontos a serem aprimorados para benefício da população e fiz o que pude para mostrar a eles o quão grande é seu potencial e o que fazer para utilizá-lo ao favor. Na ocasião, trabalhei com associações de moradores, membros de cooperativas de reciclagem, associações de trabalho e com a população. Um momento que chamou minha atenção foi a visita às Agrovilas, onde existe uma cooperativa formada apenas por mulheres, que conseguiu crescer de forma significativa no ramo fitoterápico. Como identificamos uma dificuldade na elaboração de projetos para captação de recursos e uma possível falta de foco na escolha dos produtos a serem produzidos eu, como estudante de Engenharia de Produção, pude conversar com a responsável pela cooperativa e "trocar ideias" para resolver estes problemas, o que foi muito enriquecedor para mim como futuro profissional. Só posso agradecer, mais uma vez, a oportunidade de representar a FHO|Uniararas neste projeto, que tem me ensinado tanto a respeito da vida e que me fez dar mais valor as coisas simples do dia a dia. Muito obrigado aos meus colegas rondonistas, a toda população de Itapeva, a minha família e a todos que nos ajudaram a fazer desta operação um grande sucesso. Ubuntu para todos".

José Lemos do Prado Junior
Aluno de Engenharia de Produção


"O Projeto Rondon foi tão intenso que não sou capaz de encontrar palavras suficientes para relatar a experiência. Só sei dizer que ele superou em todos os sentidos as minhas expectativas. Conseguir contribuir, de alguma forma, para o desenvolvimento das comunidades, apesar de saber que mais aprendi do que ensinei, pois convivi com dificuldades e enxerguei uma realidade totalmente diferente da qual estou acostumada, me fortaleceu. Aprendi também que o trabalho em grupo é muito melhor do que o individual e a Operação Itapeva 08 foi a grande responsável por tudo isso. Hoje só tenho a agradecer a todos. Esta experiência me instigou a realizar mais trabalhos voluntários, pois estas ações enriquecem a vida!"

Mônica Cyntia Ferreira Santos
Aluna de Biologia


"O Projeto Rondon transforma a maneira como lidamos com a vida, faz com que olhemos para o outro e para a realidade do Brasil. A miscigenação de raças e culturas faz com que, de uma maneira singela, compreendamos uns aos outros. Levamos nosso conhecimento científico da melhor forma e aprendemos mais com eles do que ensinamos. É solidariedade, amizade, resiliência - é o fator essencial para nos formarmos universitários mais humanos e de olhos abertos ao mundo e ao que ele pode nos oferecer. Aprendi e agradeço as belas lições que tive nesta viagem. A sensação no final foi de missão cumprida e gratidão é a única palavra que me vem à cabeça para definir o Rondon. Que venham mais culturas, aventuras e atuações, como nesta viagem inesquecível".

Lays Fernanda Henrique
Aluna de Enfermagem


"Como integrante da Operação Tocantins, realizada em janeiro, assumo que embarquei nessa experiência cheia de expectativas e pré-julgamentos. Fui surpreendida por coisas muito boas: apesar de os dois projetos partirem de ideais semelhantes, jamais poderia imaginar toda a bagagem diferenciada que cada um deles me proporcionou. Pude representar a Liga de Traumatologia e Emergência, pela qual sou apaixonada e que, com muito orgulho, vejo crescer um pouquinho a cada dia. Participei e tive a oportunidade de ministrar treinamentos de primeiros socorros a pessoas que farão a diferença na vida da população de Itapeva. Ensinei um tanto, aprendi mais do que esperava: sobre meus colegas de trabalho (agora mais amigos), sobre a história do nosso país, sobre mim mesma e principalmente sobre a vida e o que quero experimentar dela. Aprendi muito sobre áreas que jamais pensei em estudar, mas todo conhecimento é válido e estamos aqui para compartilhá-lo uns com os outros. Além de tudo isso, o Projeto Rondon-SP me abriu os olhos para uma realidade que a gente julga estar tão longe e que se encontra do nosso lado. Me deu força e me fez ter certeza da minha missão nesse mundo: tocar o próximo com meu amor, cuidado, conhecimento e vontade de aprender. Portanto, só cabe aqui a minha gratidão. Porque Projeto Rondon não se explica, se vive".

Giulia Stefani da Silva
Aluna de Enfermagem


"Ser rondonista é ter espírito jovem, é poder crescer e entender o que é o amor. O Rondon me ensinou que por pouco que façamos, podemos agregar muito nos locais que são feitas as ações. Pequenas atitudes podem fazer a diferença em uma vida, em uma cidade ou nas comunidades em que passamos. Poder dizer que serei eternamente rondonista é inspirar amigos, família e a mim mesma. Em Itapeva conheci comunidades como Kantian, Jardim Santa Maria, Jaó, São Roque, Vila Dignidade, entre outros lugares da cidade. Contudo Jaó foi minha inspiração para me tornar uma profissional e voltar a trabalhar voluntariamente nesta comunidade. No local, conheci pessoas maravilhosas, que vivem com pouco, seja na saúde, na educação ou na vida pessoal. Elas jamais negam esforços para tentar fazer a diferença, como uma das jovens que compartilhou comigo a luta diária que trava com as dificuldades de transporte, moradia e internet para realizar o sonho de ser graduada. É ela que hoje inspira as amigas a correrem atrás dos sonhos delas. Todos os dias após as ações, era com os amigos que trocávamos experiências e ideias do que poderíamos desenvolver nos outros dias, fazendo reuniões e planejando durante as madrugadas nossa próxima atividade. Todos precisariam sentir o que é ser rondonista, pois se emocionar, chorar, rir e aprender com tudo o que vemos é encontrar a razão para continuarmos vivendo e lutando pelo que acreditamos, que é ser o pedacinho do bem para a população".

Camila Malvestiti
Aluna de Psicologia

Indicar esta notícia
Versão para impressão Comunicar erros
Prêmios
  • Parcerias
  • UNIARARAS - Fundação Hermínio Ometto - Av. Dr. Maximiliano Baruto, 500 - Jd. Universitário | Araras - SP - CEP: 13607-339 - Tel: (19) 3543-1400
    © 2012 - Fundação Hermínio Ometto - CETEC - Todos os direitos reservados / © 2005-2012