Área Restrita

Nos anos 60, 70 e 80, quando a participação dos estudantes no cenário político e econômico do Brasil era latente, o Projeto Rondon era sinônimo de sucesso, envolvendo cerca de 350 mil universitários. O objetivo era levar a juventude universitária a conhecer a realidade brasileira e a participar de seu processo de desenvolvimento.

O projeto foi extinto em 1989, mas a vontade de resgatar o trabalho que, no passado, fora abraçado com força pelos estudantes ressurgiu nos últimos anos. Assim, por iniciativa da UNE (União Nacional dos Estudantes) em parceria com o Governo Federal, o Projeto Rondon é retomado em 2005.A nova fase do Projeto Rondon origina-se de uma proposta, encaminhada pela União Nacional dos Estudantes ao Exmo. Sr. Presidente da República em novembro de 2003, no sentido de reativar o projeto original.

Para viabilizar essa proposta, foi criado, em março de 2004, um Grupo de Trabalho Interministerial, composto por representantes do Ministério da Defesa, ao qual coube coordenar a implantação do novo projeto, do Ministério da Educação, do Ministério da Integração Nacional, do Ministério da Saúde, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, do Ministério do Desenvolvimento Social, do Ministério do Esporte, do Ministério do Meio-Ambiente e da Secretaria-Geral da Presidência da República.

O projeto Rondon tem como objetivo apresentar à juventude universitária a realidade deste país continental, multicultural e multirracial, proporcionando-lhe a oportunidade de contribuir para o desenvolvimento social e econômico de diversas regiões brasileiras.

Inspirado em princípios consagrados pelo Marechal Rondon, o projeto caracteriza-se por concentrar os esforços do Governo Federal e das Instituições de Ensino Superior, por meio de alianças com as comunidades, na busca de soluções participativas e emancipadoras, que contribuam para o desenvolvimento local sustentável e ampliem o bem-estar comunitário.

Dessa forma, o Projeto Rondon contribui para a formação do universitário como cidadão; integra-o ao processo de desenvolvimento nacional, por meio de ações participativas sobre a realidade do País; consolida seu sentido de responsabilidade social coletiva em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais, além de incentivá-lo à produção de projetos coletivos locais, em parceria com as comunidades assistidas. Em parceria com o Governo Federal, a Fundação Hermínio Ometto, por meio da UNIARARAS, participa do Projeto Rondon, desde 2005 atuando semestralmente em diversas operações pelo Brasil. Em cada equipe são selecionados 02 docentes e 08 acadêmicos para atuar no projeto proposto. Em anos anteriores, equipes da UNIARARAS, somando 38 professores e 144 acadêmicos, atuaram em 20 municípios, pertencentes aos Estados do Rio Grande do Sul, Amazonas, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Bahia, Piauí, Pará, Pernambuco, Sergipe, Paraná e Rio Grande do Norte.

Esta aliança contribui para a formação cidadã do universitário; integra-o ao processo de desenvolvimento nacional, por meio de ações participativas em todo o país; consolida seu sentido de responsabilidade social coletiva em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais, além de incentivá-lo à produção de projetos coletivos locais, em parceria com as comunidades assistidas.
Prêmios
  • Parcerias
  • UNIARARAS - Fundação Hermínio Ometto - Av. Dr. Maximiliano Baruto, 500 - Jd. Universitário | Araras - SP - CEP: 13607-339 - Tel: (19) 3543-1400
    © 2012 - Fundação Hermínio Ometto - CETEC - Todos os direitos reservados / © 2005-2012